contactos. cirurgia vascular
cirurgiavascular(at)darunspontos.com
patricia.nunes(at)darunspontos.com
:: início | Cirurgia Vascular | Doenças Vasculares | PATOLOGIA LINFÁTICA

| Patologia Linfática | LINFEDEMA
O linfedema é um inchaço provocado por dificuldade na drenagem normal da linfa para o sangue. Raramente, é congénito, isto é, está presente ao nascer. Mas, frequentemente, aparece em fases posteriores da vida devido a causas primárias ou adquiridas.

O linfedema congénito deve-se ao facto de a pessoa nascer com um número reduzido de vasos linfáticos, que são insuficientes para drenar toda a linfa. Envolve quase sempre os membros inferiores. As mulheres têm maior probabilidade do que os homens de ter linfedema congénito.

Embora o inchaço se possa observar desde o nascimento, de um modo geral os vasos linfáticos nesse momento estão adequados à pequena quantidade de linfa que o lactente possui. Com maior frequência, o inchaço aparece posteriormente quando o volume de linfa aumenta e supera a capacidade do número reduzido de vasos linfáticos. O edema começa gradualmente numa das pernas ou em ambas.

O linfedema adquirido é mais frequente do que o congénito. Aparece geralmente depois de uma grande cirurgia, sobretudo após um tratamento do cancro no qual se tenham extirpado gânglios e vasos linfáticos ou quando estes foram submetidos a radioterapia. Também infecções de forma repetida podem causar linfedema (incluindo erisipelas e as provocadas pelo parasita tropical Filaria).

No linfedema adquirido, a pele parece sã, mas está inchada. Por vezes, a extremidade incha exageradamente e a pele é tão espessa e enrugada que tem o aspecto da pele de um elefante (elefantíase).

copyright @ darunspontos - serviços médicos, lda. 2011.